Posted by: bikeanjobr | 07/02/2017

Primeiros socorros é pauta em Jaraguá

 
 
2017-01-24-photo-00000024

Recentemente promovemos nossa I Palestra de Primeiros Socorros, no Bike Anjo Jaraguá do Sul.

A motivação é um tanto triste, a fragilidade da vida humana. Algo do qual não gostamos de ser lembrados mas que eventualmente nos pega de surpresa, nos assombra e faz refletir. Perdemos um colega de bike fazendo aquilo que mais lhe deu prazer enquanto esteve por aqui, pedalar. Venceu um morro, mas deixou ali a sua vida. Num acidente do destino, uma parada cardíaca.

Poderia ter sido qualquer um de nós. – Como disse o meu cardiologista esses dias quando eu perguntei se estava bem, “Aqui, agora, você tá ótimo. Mas até o final do corredor não dá pra ter certeza”.

A vida é assim, a gente nunca tem certeza de nada, e dadas as circunstâncias a única coisa que fez sentido naquele momento foi tentar ajudar, compartilhar e fazer a diferença.
Nós temos uma equipe de anjos fantásticos que mais uma vez provou sua perspicácia e destreza, organizando um evento impecável. Lotamos as inscrições para a palestra em apenas quatro dias. Casa cheia!
Uma parte da equipe ficou responsável pela divulgação, outra pela mobilização de parceiros e os nossos anjos, Roberto e Flavio, desenvolveram o conteúdo da palestra.

O negócio correu tão bem que teve água, snacks, blocos de papel, canetas e uma série de folders informativos para cada um dos inscritos – e a inscrição era gratuita.

16422704_1570132103003000_5145159346544517350_o

Os palestrantes foram impecáveis. Também pudera, o Roberto é diretor de um grupo de resgates em áreas de risco e o Flavio é ex-bombeiro e Técnico em Enfermagem. Ambos possuem conhecimento de sobra na área. Foram abordados diversos temas e circunstâncias, mas o foco principal foi para identificação e imobilização de fraturas, o kit básico de primeiros socorros, como improvisar os materiais em áreas remotas, sinais de parada cardiorespiratória e procedimentos de realização da reanimação cardiopulmonar (RCP).
16602547_1570131846336359_3488437534738457626_o
Não resta dúvidas de que o conteúdo foi extremamente valioso e que mais uma vez nós fizemos a diferença. Certamente todos os participantes estão mais preparados para agir numa dessas eventualidades. Quanto a nós, permanecemos na luta e muito em breve daremos continuidade a temática, realizando um módulo prático em primeiros socorros.

Uma pedalada de cada vez, rumo a um mundo melhor…

16463504_1570132216336322_6212645545781904269_o

Amamos ajudar, compartilhar e fazer a diferença – Bike Anjo Jaraguá do Sul

 Mais fotos do evento:

Ei, você que tá lendo isso aqui, depois dos trinta é cardiologista todo ano. Não dá pra bobear.

Posted by: bikeanjobr | 30/01/2017

EBA Recorde de Público e Ciclos na Praça

Depois de dias de muita chuva em São Paulo, o Sol apareceu com toda a força, justamente num dia de ESCOLA BIKE ANJO. Mas não foi uma EBA qualquer, foi uma EBA EXTRAORDINÁRIA, tanto pelo dia lindo, como pelo Evento que ela estava inserida, e principalmente pelo número de iniciantes que lá compareceram.
Na EBA ensinamos quem nunca subiu em uma bicicleta. Ou quem não pedala há muito tempo e quer praticar. E acreditem, muita gente já sai pedalando na primeira aula!!

A EBA que por sinal foi um sucesso, com recorde de público, com mais de 180 pessoas experimentando o prazer de aprender a pedalar!!! Contou com a ajuda e o empenho de mais de 25 voluntários e voluntárias do Bike Anjo São Paulo. Tivemos um dia inteiro (das 9h às 18h) de lindos momentos e muitos sorrisos de pessoas dando suas primeiras pedaladas, sendo muitas delas a primeira vez que subiram na bicicleta O:)

img_20170129_091613296_hdr

Por coincidência, no mesmo dia da EBA-SP, acontecia o evento
Ciclos na Praça, para o lançamento do documentário CICLOS, produzido pela VICE com parceria do Itaú.

img_20170129_131835982_hdr

Ciclos é um documentário sobre mobilidade urbana. Sobre a necessidade de mudanças e sobre a possibilidade de mudanças. Sobre ideias, sonhos, liberdade, diversidade e respeito. Mas acima de tudo isso, é um documentário sobre pessoas. Contando a história de três personagens que têm a vida transformada por meio da bicicleta. E claro, não poderia faltar a participação do Bike Anjo incentivando o uso da bicicleta dentro do documentário.


O evento organizado pelo Instituto Aromeiazero, teve a participação da Escolinha de Bike, Bike Spa, Bike Café, Food Bikes e Escola Bike Anjo Super Especial!

Clique AQUI para assistir o documentário na íntegra.


E para saber mais sobre nossas EBAs, não só em São Paulo, mas pelo Brasil, acesse AQUI.

Posted by: bikeanjobr | 19/01/2017

Prefeito de Volta Redonda vai De Bike ao Trabalho

No dia 16 de janeiro, os bike anjos Vicente Sacramento e Fábio Quirino, do Bike Anjo Volta Redonda, acompanharam o Prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, e o Secretário de Transportes, Wellington Nascimento, para realizarem o trajeto do Bairro São Geraldo até a prefeitura de bicicleta.
prefeito_bikeanjovoltaredonda-partida

Prefeito Samuca Silva com os bike anjos antes de começar o pedal até a prefeitura


Ao longo de aproximadamente de 4 km, o trajeto foi feito por uma das vias mais movimentada do centro da cidade, a Av. Amaral Peixoto, e quase sempre beirando um estacionamento existente na via. A possibilidade de construir uma ciclovia onde hoje é o estacionamento foi conversada com o Prefeito e o Secretário.
prefeito_bikeanjovoltaredonda-pedalando
prefeito_bikeanjovoltaredonda-atravessando

Enxergar a cidade por outro ângulo: o Prefeito gostou da experiência

Ser um ciclista urbano e ter poder observar a cidade por outro ângulo, pelo menos nesse dia, foi uma experiência que o Prefeito e o Secretário gostaram bastante. “Passando de carro, não conseguimos observar como ônibus passa tão rápido”, disse o Prefeito Samuca após levar um fino de um coletivo.

prefeito_bikeanjovoltaredonda-o%cc%82nibus

Prefeito sinaliza para ônibus manter distância segura

O percurso também passou por uma passarela aonde hoje os ciclistas são obrigados a descer da bicicleta e empurrarem. Também foi conversado sobre a possibilidade da passarela ter a mesma lógica de uma calçada compartilhada, onde pedestres tem a preferência, mas os ciclistas podem utilizar pedalando. A ideia foi bem recebida pelo Prefeito.
prefeito_bikeanjovoltaredonda-passarela

Travessia da passarela empurrando a bicicleta

A iniciativa do prefeito foi bem recebida pelo os ciclistas e abriu um maior canal de diálogo entre os ciclistas de Volta Redonda e a gestão municipal.

prefeito_bikeanjovoltaredonda-camisa

Bike Anjo Volta Redonda

 
Se você também deseja ir De Bike Ao Trabalho e precisa de uma ajudinha para pedalar com mais segurança, CHAME O BIKE ANJO! 0=)))) 
Posted by: bikeanjobr | 13/01/2017

Como foi a Assembleia Ordinária do Bike Anjo 2017

No dia 12/01/2017 aconteceu mais uma Assembleia Ordinária da Associação Bike Anjo!
Já faz mais de seis anos que essa rede linda, chamada Bike Anjo, passou a existir. De uma centena de voluntários já somos alguns milhares, espalhados pelo Brasil todo, e pelo mundo também.
Há cerca de três anos deixamos de ser um coletivo e passamos a ser uma Associação, sem fins lucrativos, oficialmente. Já estamos na segunda diretoria da nossa Associação, e é sempre importante avaliar o ano que passou, projetar o ano atual e ter a aprovação do nosso caixa pelo nosso Conselho Fiscal.
Por isso a realização anual (segundo nosso estatuto) dessas assembleias.
Ora, primeiro para que o presidente apresente o que foi feito durante o ano de 2016, apresente as contas ao Conselho Fiscal, que depois de analisar vai aprovar, pedir explicações ou rejeitar as finanças. Também serve para discutir os planos de 2017 e, o mais importante, ouvir qualquer coisa que vocês tenham a nos dizer.
Essa Assembléia Geral aconteceu no oGangorra, Rua Simão Álvares, 781 – Pinheiros, São Paulo – SP, nos espaço do LEMNI Café foi aberta a todos os associados e também aos não associados.
Pra quem não pôde comparecer ou era de outra localidade, a Assembleia foi transmitida ao vivo, vocês podem conferir abaixo como foi:

Clique e confira a Apresentação da Assembleia. E aqui veja o Álbum de Fotos.

Esse foi mais um passo e uma etapa na história dessa REDE linda que só nos dá orgulho.
Agradecemos à todos e todas que direta ou indiretamente apoia, ajuda, participa e dedica algum tempo ao Bike Anjo.Que venha 2017!!!
Posted by: bikeanjobr | 09/01/2017

Como foi o II FNEBici 2016 – Fortaleza

14642367_1662576257405573_4195098601247401177_n.png

Depois do sucesso do primeiro Fórum Nordestino da Bicicleta, realizado em 2015 na cidade do Recife/PE, Fortaleza abriu suas portas e ciclovias para receber diversos atores ligados ao ativismo e a bicicleta. Entre os dias 11, 12, 13 e 14 de novembro o Nordeste se reuniu  para discutir e trocar experiências de como podemos atuar como sociedade civil, organizada ou não, para influenciarmos nas políticas públicas e mudança cultural por meio da  bicicleta.

O FNEBici é realizado de forma colaborativa por associações da região Nordeste: ACIRN (Natal/RN), Ameciclo (Recife/PE), Ciclo Urbano (Aracaju/SE), Ciclomobilidade (Maceió/AL), Ciclovida (Fortaleza/CE) e Mobicidade (Salvador/BA), com apoio do Bike Anjo e UCB que atuam em âmbito nacional.

O primeiro dia do FNEBici foi uma boa festa no quintal do Theatro José de Alencar, o principal teatro da cidade. Bons (re)encontros fizeram dessa abertura uma coisa bem mais íntima e sem protocolos dando a oportunidade de confraternizar e integrar todos os participantes.

15403535_689957081184524_1839148083259113472_n.jpg


Nos dias seguintes, fomos bem recebidos na Sec. Especial de Políticas sobre Drogas, onde todas as discussões em salas fechadas ocorreram, além da boa novidade desta edição, o FNE BICIM (bem cearense mesmo!), espaço feito para mães, pais e, principalmente as crianças.

A primeira Mesa de discussões trouxe a temática  Movimentos Sociais e Bicicleta, composta integralmente por mulheres. Ju Dolores (Marcha das Vadias – Recife/PE), Fernanda Rocha (Coletivo das Bicicletas – João Pessoa/PB) e Catarina Silver (Pedalzinho das Minas – Fortaleza/CE) e Márcia Menezes (Mobicidade – Salvador/BA) discutiram a bicicleta como  ferramenta de empoderamento feminino e as diversas redes de sororidade que a magrela criou em todos os casos. Logo na sequência, a próxima Mesa discutia a Invisibilidade das Mulheres Negras e Bicicletas na Periferia, com Lívia Suarez (LaFrida – Salvador/BA), Raquel Souza (Ciclanas – Fortaleza/CE) e Yebá Ngoamãn (Cidade Bike – João Pessoa/PB) expondo que são nas periferias dos grandes centros urbanos que se concentram o maior números de ciclistas que utilizam a bicicleta como modal de transporte, mesmo com todas as dificuldades de se pedalar nessas áreas pela falta de infraestrutura adequada.


Pausa para o rango ;))) e volta com uma mesa sensacional falando sobre Acessibilidade (e bicicleta). Samuel Chaves, Igor Girão e Elione Sousa falaram de como é ser deficiente físico e/ou visual em Fortaleza, os desafios que enfrentam todos os dias. Muitas dificuldades são enfrentadas diariamente para se deslocar na cidade, segundo eles, as cidade é hostil e não precisa de adaptações e sim quebrar velhos paradigmas para refazer as estruturas para todXs. O Elione trouxe sua experiência com o desporto para(O)límpico e como a bicicleta ajudou a transformar sua história após um acidente. E finalizando essa mesa, tivemos o César Ricardo (Aracaju/SE) e Maria Gouveia (Campina Grande/PB), ambos do Bike Anjo, falaram como a bicicleta pode ser usada como ferramenta de inclusão e como a infraestrutura ciclovia contribui para acessibilidade nas cidades. Por fim, a Maria compartilhou as experiências de com a EBA Entre Todos, uma atividade onde a bicicleta é usada como ferramenta de inclusão em algumas cidades do Nordeste, com as sensacionais bikes ODKV, criando uma grande expectativa para um momento que seria vivido no último dia do FNEBici (detalhes já já).

15085698_1811339989110575_8614035687249860365_n.jpg


Com todas as possibilidades que a bicicleta trás, os negócios ou ciclonégocios também foram apresentados durante o FNEBici.  A Nathalia Saints (VEGordices – Recife/PE), Denis Sá (PedalBike – São Luiz/MA), Diego Hermys (Úrbici – Fortaleza/CE), Allan Araújo (Bitelli Bikes – Fortaleza/CE) e Mara Oliveira (Piccolore – Fortaleza/CE). Onde foram discutidos as possibilidades e os diversos segmentos de mercado que a bicicleta proporciona. E finalizando o segundo dia de Fórum, uma mesa com dados para embasar o cicloativismo, composta por Juliana Agra (Ciclomobilidade), Felipe Alves (Ciclovida) e Pedro Guedes e Victor Senna (Ameciclo), onde foram apresentadas como são realizadas contagens, mapeamentos, análises de dados e pedidos de informações, visando incentivar os coletivos a coletarem e analisarem dados embasando assim seus argumentos frente ao poder público.

O domingo começou com uma SUPER EBA, com presença de anjos de Aracaju, João Pessoa, Maceió, Natal, Recife, Salvador e, lógico, de Fortaleza, na Praça Luiza Távora. Mais de 50 pessoas atendidas e muitos sorrisos nos rostos de anjos e aprendizes. Nem tinha acabado a EBA quando a galera já se reunia para a Assembléia do FNEBici, a assembléia tinha 2 principais eixos de discussões: a frequência do FNEBici (anual ou bianual); e qual seria a próxima cidade a sediar o Fórum. Como orientação ao FNEBici foi decidido que sua frequência será bienal e que a próxima cidade sede será Maceió/AL! \o///

 

15135733_1685179351811930_5006687552047191754_n.jpg

A segunda-feira começou com uma roda de meditação seguida por uma mesa fantástica sobre Maternidade e Bicicleta, com a presença da Manjari Ka (Fortaleza/CE), Mário Reginaldo (Fortaleza/CE) e Paty Sampaio (Recife/PE), que levou seus filhos Yago (12) e Nina (7), para participar da mesa e relatar todas as experiências, diversões, alegrias, dificuldades e como pedalar com os filhos pode ser determinante para mudança cultural com relação aos deslocamentos urbanos desde a infância.

15027839_1685179051811960_8015477414150056779_n.jpg

Ainda na segunda-feira, tivemos um pedal cultural pela cidade, onde tivemos a oportunidade de conhecer a rica história da cidade de Fortaleza. Em paralelo, tivemos a realização da EBA Entre Todos e um pedal acessível pela cidade. A EBA Entre Todos é uma ação que nasceu no Bike Anjo Sergipe e hoje está se espalhando pelo Nordeste, cidades como Campina Grande/PB, Maceió/AL, Salvador/BA já estão mobilizadas para realização dessa ação. Essa atividade visa utilizar as Bikes ODKVs (bicicletas adaptadas) para proporcionar o prazer de pedalar a pessoas com algum tipo de limitação e/ou deficiência.

E para finalizar o dia e o FNEBici fomos para a Praia de Iracema onde vimos com extremo deleite o nascer da Super Lua e confraternizamos.

Posted by: bikeanjobr | 13/12/2016

Como foi o #3ENBA – Recife|16

FOTO_ENBA-com-logo.png

Nos dias 9,10 e 11 de Dezembro, Recife, Olinda e Janga receberam o 3º Encontro Nacional do Bike Anjo – #3ENBA.

Foram três dias de planejamento e confraternização.

Mais de 45 pessoas de 22 cidades de todo Brasil participaram de atividades, dinâmicas, passeios, e o principal, se conectaram e trocaram experiências.

Começamos a sexta-feira na Tropicasa em Olinda, com a balada Bike Anjo. Lá apresentamos os Resultados do Bike Anjo em 2016, e exibimos um documentário chamado MAMA ÁGATHA, que serviu de inspiração para continuar a ensinar inúmeras pessoas a pedalarem pela primeira vez. Além disso, tivemos uma baita homenagem a uma  mulher inspiradora que será nossa eterna BIKE ANJA, DETINHA.

Depois disso aproveitamos a balada para confraternizar, dançar e brindar.

8.jpg

No segundo dia, fomos para o Museu Cais do Sertão no Recife antigo onde passamos o dia não “só” planejando e discutindo o futuro da Rede mas também pensando em como melhorar o que já tem sido feito com as ações e campanhas, e principalmente com a comunicação com os voluntários cadastrados.

Convidamos também alguns parceiros locais (IEMA, AMECICLO e ENGAJAMUNDO) que fizeram apresentações sobre mudança de cultura, servindo como base para as dinâmicas que foram realizadas na parte da tarde que teve como objetivo entender como a Rede Bike Anjo pode contribuir para mudança cultural através da bicicleta.

whatsapp-image-2016-12-10-at-10-06-05

Domingo fomos conferir se JANGA existe! rs

Brincadeiras a parte, fomos até Paulista, cidade da Região Metropolitana de Recife para conhecer a realidade de outra cidade. Nesse dia, fizemos um piquenique na praia com comidinhas deliciosas de cada região do país.

whatsapp-image-2016-12-11-at-14-17-54

Se você quiser saber mais do que foi discutido nos dias do Encontro: CLIQUE AQUI.

Confira mais fotos!

 

Posted by: bikeanjobr | 05/12/2016

EBÃO – Escola Bike Anjo de Aniversário

ebao-blog

No dia 24 de Novembro DE 2016, o Bike Anjo completou 6 anos de vida, e apesar de ser uma criança, já realizamos muitas atividades, tivemos muitas conquista com lindos momentos de alegrias e de emoções. Em comemoração ao nosso aniversário, foi realizado o EBÃO – Escola Bike Anjo de Aniversário por todo o Brasil!!!

Muitas cidades se juntaram no domingo 27/11 para comemorar da forma que mais gostamos, ensinando as pessoas a pedalar ;)
Tivemos a participação de 21 cidades espalhadas pelos quatro cantos do país, atendendo mais de 400 pessoas!!!

Durante o dia, nossas redes sociais ficaram em festas com postagens, fotos, transmissões ao vivo, depoimentos e toda a forma de carinho que pudemos receber. Agradecemos imensamente a todas e todos que acreditam no Bike Anjo, mas que principalmente acreditam no poder transformador por meio da bicicleta.
Que venham mais 6, mais 60, mais 600 anos!!!

Confira como foi o EBÃO \o/

– CIDADES QUE PARTICIPARAM:
*clique no link e veja os álbuns de fotos completo!

Bike Anjo São Paulo – Bike Anjo Recife – Bike Anjo BH – Bike Anjo Curitiba – Bike Anjo DF
Bike Anjo Campina Grande – Bike Anjo ES – Bike Anjo Sergipe – Bike Anjo Floripa
Bike Anjo Campinas – Bike Anjo Maceió – Bike Anjo Volta Redonda – Bike Anjo Jundiaí
Bike Anjo Rio e Niterói – Bike Anjo Belém – Bike Anjo Salvador – Bike Anjo Campo Grande
Bike Anjo Manaus – Bike Anjo Blumenau – Bike Anjo Porto Alegre – Bike Anjo Teresina

– TRANSMISSÕES AO VIVO:
Blumenau – Recife – São Paulo

– DEPOIMENTOS:
– Rio/Niterói: Ana Carboni-RJ

Relato de um dos voluntários. “Mas teve uma história engraçada! Uma de minhas “aprendizes”, depois de já estar andando sozinha, veio me avisar que tinha atropelado uma criança, mas que estava tudo bem. Porém, quando cheguei em casa, meu filho me pediu para não ir no judô amanhã porque estava ralado no cotovelo e no joelho. Quando perguntei o porquê, ele disse que tinha sido atropelado no Bike Anjo, e descreveu exatamente a minha aprendiz e a sua bicicleta.”

– Vix/Vitória/Vila Velha: Eliete Coelho-ES

“Hoje eu chorei num abraço grato e apertado…
Chorei no ônibus de volta,
Chorei andando pela rua…
…Um delicioso choro de alegria!
Um choro “bão” de emoção.
De gratidão… por ter o peito cheio de uma boa e nova liberdade!

Chorei o choro de quem realiza um sonho sonhado desde criancinha.
Chorei o choro da conquista!
Chorei o choro da superação.
Nesse inesquecível dia, eu ganhei, de um anjo de verdade, um pouco mais de autonomia.
Meu olhos marejaram e as lágrimas, de tão alegres, decidiram rolar…

Eu estava pedalando!
Segura, calma e, agora, sozinha!
“Pedalando, pedalando na bicicletinha”… rs..

O vento batia no rosto e espalhava pelo ar a alegria…
Outros anjos e anjas celebravam comigo!
E eu já não sabia se chorava ou sorria…

Gratidão, meu bike anjo, Caio! Gratidão, Tônia, Eliete.. Gratidão, nossa eterna Detinha!
Um relato poético da querida Leandra Barros, que aprendeu a pedalar !!!”

E ALGUMAS FOTOS, UMA MAIS LINDA QUE A OUTRA!!!

 

 

 

Posted by: bikeanjobr | 22/11/2016

#9 Oficina de Capacitação

blog-oficia9.jpg

A nona Oficina de Capacitação da Rede Bike Anjo, realizada em outubro de 2016, abordou a temática de como inserir a bicicleta nas escolas. A oficina trouxe a perspectiva de um ciclista ativista  e de um educador que inseriu no currículo escolar dos seus alunos a questão da mobilidade urbana de São Paulo.

A Oficina #9 – Como trabalhar a temática da mobilidade urbana e bicicleta nas escolas, contou com a presença dos bike anjos Luiz Patrício (Curitiba/PR) e Marco Antonio Augusto  professor do Colégio Miguel de Cervantes (São Paulo/SP).

Assista agora na íntegra a Oficina #9.

Confira as outras Oficinas de Capacitação da Rede Bike Anjo.

Realização: Bike Anjo
Apoio Institucional: Itaú

Posted by: JP Amaral | 16/11/2016

Pedalando rumo à Nova Agenda Urbana

Em Outubro de 2016 estive presente em momento marcante para as cidades do mundo. Se trata da Habitat III, uma conferência das Nações Unidas que só acontece de 20 em 20 anos para discutir para onde devem ir nossas cidades, baseado em um desenvolvimento sustentável. Representei o Bike Anjo por lá e gostaria de trazer aqui um relato das principais impressões e resultados da conferência.

14670886_10154556988262719_3831084878284764500_n

O foco do relato é no tema de mobilidade por bicicleta esteve forte, mas minha avaliação foi que a principal deficiência da Habitat III foi a ausência de políticas integradas extremamente necessárias, como a solução “transporte + desenvolvimento territorial = mobilidade”, ou questões de gênero e minorias para efetivar o tal “Direito à Cidade para todos” que foi ponto chave do documento final da Conferência.

Confira…

Como é pedalar em Quito?

A cidade tem ciclovias pontuais e desconectadas e a estrutura das vias são saturadas. De toda forma, o motorista não chega a ser agressivo, apenas desacostumado com o/a ciclista em várias situações (ex: não olhar no retrovisor nas conversões a direita).
Por ser uma cidade linear entre morros (em um vale), o congestionamento é bem pesado, contando com cerca de 4 avenidas principais como eixo de conexão Norte e Sul e onde são as únicas partes planas. Isso torna muito difícil fazer caminhos alternativos para bicicleta por dentro de bairros. O caminho é de fato redesenhar essas vias principais.
Por conta da má qualidade do diesel e também dos morros, a qualidade do ar é péssima. Juntando a altitude de 2.800 metros da cidade, é realmente muito cansativo pedalar nas principais vias.
image-2
Imagem: Paisagens das montanhas de Quito

 

ciclopaseo é fantástico, uma ciclofaixa de lazer que fecha todo um lado de algumas avenidas da cidade em um percurso de cerca de 30 km e que atravessa de Norte e Sul. Domingo é um dia bem especial para pedalar! No fluxo do dia a dia, os ciclistas pedalam bastante nos corredores de BRT (ônibus rápidos), uma vez que não há congestionamento e baixa frequência de ônibus. Há um sistema de bicicletas públicas na cidade de forma manual e gratuito que funciona apenas até às 18h30 e o processo de registro é um bocado burocrático, mas tem uso. Recentemente colocaram bicicletas elétricas também. Uma licitação está acontecendo neste momento para um novo bike sharing automatizado.
image
Imagem: Sistema de bike sharing manual de Quito

 

Várias ciclofaixas apareceram pela cidade para a Habitat III que, embora teve problemas de uso durante o evento, faz parte de um planejamento de 58 km de infraestrutura cicloviária e devem ser continuadas após a conferência.

Considerei Quito pouco verticalizada, o que foi agradável para ver incríveis paisagens em trajetos no meio da cidade.
image-1
Imagem: Novas ciclofaixas finalizadas no 1o dia da Habitat III

 

Temas que chamaram a atenção na Habitat III

 

 – Tecnologia e Coleta de dados: vários exemplos, inclusive uma atividade nossa, demonstraram a relevância de coleta de dados de forma colaborativa, com uso de tecnologia/Apps. Relevante também termos sistemas nacionais de coleta de dados de transporte.
– Participação popular: várias formas e metodologias para além de consultas/audiências públicas foram apresentadas. Uso da tecnologia pareceu forte para isso. Precisamos renovar/inovar nisso!
– Mulher e gênero: embora barrado de várias formas no documento final, tiveram estudos fantásticos de percepção da mobilidade por mulheres diferente de homens, em especial no tema da bicicleta e um livro ótimo no Equador sobre “Mujeres en Bici“.
– Segurança viária: foi mencionado exaustivamente como nunca antes, além de estar presente no documento final da conferência (ver mais abaixo). E um dos pontos chaves para a segurança viária foi a promoção da bicicleta e de criação do seu espaço.
– Saúde pública: foi fortíssimo o link da saúde preventiva nas cidades, proporcionando espaços públicos e lazer, e seus resultados indiretos, como redução da poluição, entre outros.
– Cidades compactas: sim, esteve presente, mas a meu ver apenas pelo espectro da verticalização ou modernização da cidade, e não medidas simples como reocupação de moradias nos centros (em sua maioria vazios a noite), descentralização de empregos, promoção de distâncias curtas casa-trabalho. Ou seja, realmente pensar no planejamento do uso e ocupação do solo.
– Mobility as a service (MAAS): entrou em alguns debates como integramos todas as soluções de mobilidade em um lugar só, como um App. Principalmente buscando promover uma real integração intermodal de forma fácil e ágil.
– Papel da empresa: comparado com as COPs (Conferências do Clima da ONU) as empresas estiveram ausentes, exceto as que são do setor. Demonstrou que ainda falta um entendimento de como as empresas podem colaborar/se co-responsabilizar por cidades sustentáveis, uma vez que a principal demanda da mobilidade nas cidades é o trabalho.
– Pedestres e Ciclistas Latino americanos juntos: se fortaleceu muito a união de associações de pedestres e ciclistas nessa conferência, em especial em um evento promovido pela rede local de mulheres ciclistas “Carishinas en Bici” para compartilhar experiências locais na América Latina.
– Smart cities: as “cidades inteligentes” foram criticadas de várias formas, embora tiveram vários eventos sobre, com citações fortes como:
– “Cidadãos inteligentes em vez de cidades inteligentes”
– “Wise cities em vez de smart cities”
– “Precisamos humanizar as cidades, e não digitalizá-las”
– “Tecnologia deve ser uma ferramenta para alcançar cidades para pessoas, e não o fim em si para cidades inteligentes”

 

Projetos interessantes para bicicleta

 

– Transformação temporária de espaços públicos: o Habitat III Village proporcionou atividades como o “De Não Lugar para O Lugar“, que transformou uma faixa de uma rua principal em espaço de convívio. A iniciativa era para ser temporária, mas a adesão dos comércios fez com que o espaço continuasse lá após a Habitat III. Testar e experimentar com espaços temporários é uma ótima forma de convencermos oposições a projetos.

image-3
Imagem: Transformação do espaço “O Lugar”

– Lançamento do TUMI – Transformative Urban Mobility Initiative: o governo Alemão lançou esse programa com 1,8 Bi Euros para promover a mobilidade urbana. Brasil está no meio.

– BiciAcción – Integração bicicleta e metrô: a ONG local Biciacción fez um estudo para a prefeitura sobre como integrar a bicicleta com o metrô que estão construindo.

– BiciAcción – Vídeo institucional com drone: eles fizeram ESTE VÍDEO sensacional com crianças desenhando uma bicicleta em uma praça, filmado com um drone.

– BiciAcción – Simulador de Ciclismo Urbano: eles criaram um Simulador (veja vídeo AQUI) para que as pessoas pedalem pela cidade virtualmente (em uma bicicleta estática) e saibam quais são os pontos de atenção para tomar cuidado. É uma ferramenta de educação para pedalar no trânsito bem interessante.

– App Urbamapp.com: aplicativo que usamos em uma oficina para mapear problemas na rua.

image-4
Imagem: Resultados da coleta de dados na oficina “Bicivilizate”, realizada pelo Bike Anjo, BiciAcción e ECF

– Livro “Mujeres en Bici (mencionado acima).

– BYPAD.latmetodologia participativa de Assessoria do Planejamento para Bicicleta. Fui acreditado na Áustria por essa metodologia e em Quito lançamos a rede Latino Americana dessa metodologia.

O Brasil na Habitat III

Embora o Brasil não teve um Stand oficial, a Delegação Brasileira estava em peso e muito bem integrada.  Vários diálogos foram promovidos, em especial pela WRI Brasil. Em conversas com estrangeiros, muitos elogiaram a forma da Política Nacional de Mobilidade Urbana e os Planos de Mobilidade Urbana no Brasil (e como estamos fazendo a campanha “Bicicleta nos Planos” para colaborar nisso). Além de sermos um dos poucos países que tem um Ministério das Cidades.

Falando em Ministério das Cidades, pude conhecer gente muito boa lá querendo fazer. Agora precisamos dar suporte de todas as formas possíveis para emplacar políticas que tem um grande peso, como a de Mobilidade Urbana!
Os governos locais, considerando o período de eleições, estava em peso, principalmente pela delegação da ONG WRI Brasil, e isso foi muito positivo para podermos gerar diálogos produtivos e propositivos.

 

E o que apareceu no documento final da Habitat III – a Nova Agenda Urbana – para a bicicleta?

A bicicleta está presente na Nova Agenda Urbana e foi assinada pelos governos membros da ONU. O documento é um ótimo instrumento político! Devemos usá-lo de várias formas, em especial nos seguintes pontos:
– Política da bicicleta está presente não apenas como meio de transporte e isso é fundamental (como a seguir).
– A bicicleta está conectada com saúde, mostrando a importância para medidas preventivas de saúde pública. Além do mais, saúde entrou na NAU como instrumento de desenvolvimento urbano sustentável.
– Ciclovias/faixas/rotas foram consideradas espaços públicos, em vez de “apenas” áreas verdes e praças, demonstrando que espaço para bicicleta significa a democratização dos espaços normalmente privatizados.
– Segurança viária deixou de ser segurança de quem está na via (ex: pedestre atravessando a faixa), mas de ativamente proteger E PROMOVER (fortíssimo essas duas palavras entrarem juntas!) os mais vulneráveis.
(Para quem arriscar no inglês, AQUI tem um artigo mais completo sobre esses pontos em que colaborei)

 

Vamos lá continuar pedalando rumo a cidades mais sustentáveis, usando a bicicleta como ferramenta para isso! :)

 

 

Posted by: bikeanjobr | 21/09/2016

#DesafioSemCarro na #SemanaMultimodal

flyer_desafiosemcarro-01

O #DesafioSemCarro é uma brincadeira que o Bike Anjo sempre promove durante a Semana da Mobilidade, próximo ao Dia Mundial Sem Carro – 22/set. E este ano esta brincadeira está sendo uma das atividades da #SemanaMultimodal, da Corrida Amiga e diversos parceiros.

A idéia do Desafio Sem Carro é gravar um vídeo desafiando 3 pessoas a realizarem seus deslocamentos na cidade sem utilizar o carro. Vale ir de bicicleta, andando, correndo, de transporte publico, patinando… Basta você escolher o melhor modal!!!

E já tem um monte de gente que desafiou, que foi desafiada e já convidou mais gente para experimentar viver a cidade de uma outra forma. Então curtam os desafios de pessoas de todo o Brasil (e mundo) nesta lista abaixo:

Andrew Oliveira – São Paulo/SP
Enio Paipa – Janga/PE
Cacau Sobral – Recife/PE
Thiago Santos – Aracaju/SE
Luciana Souza – São Paulo/SP
– Martina Horvath – Mairiporã/SP: PARTE 1; PARTE 2
Emiliano Martins – São Paulo/SP
Adriano Melo – Berlim/ALEMANHA
Michel Grisi – Recife/PE
Guilherme Jordão – Recife/PE
Maria Gouveia – Fortaleza/CE
Lucas Guima – Campinas/SP
Cesar Ricardo – Aracaju/SE

Participe também!!! Não esqueça de usar as hashtags #DesafioSemCarro e #SemanaMultimodal e de marcar as pessoas desafiadas nas suas publicações.

Older Posts »

Categories

%d bloggers like this: